DINÂMICA DA ECOLOGIA DE PAISAGEM (1950 - 2010) NA SERRA DO ESPINHAÇO MERIDIONAL, MG

Autores

  • Wander Gladson
  • Danielle Mucida
  • Israel Pereira
  • Evandro Luiz Machado
  • Michele Silva

Palavras-chave:

área degradada, ecologia de paisagem, sistema de informação geográfica

Resumo

Para compreender as interações ecológicas em áreas degradadas, uma opção valiosa é quantificar a estrutura da paisagem por meio dos padrões espaciais da vegetação nativa presentes em mapas de cobertura do solo. Nesse contexto, o estudo examinou a dinâmica da ecologia de paisagem em torno de três regiões afetadas por diferentes níveis de degradação entre 1950 e 2010, na Serra do Espinhaço Meridional, MG. Através de fotografias aéreas e imagens de satélite, foi possível mapear e classificar a cobertura vegetal, e o software Frafstats foi utilizado para mensurar a estrutura da paisagem. O resultado apontou que os habitats naturais na área de estudo eram superiores ao limiar de percolação, tendo passado de 99,26% (2491,59 hectares) em 1950 para 89,62% (2249,35 hectares) em 2010. Observou-se que a vegetação nativa remanescente foi pouco afetada, quantitativamente, pelas atividades humanas, e que o habitat natural ainda mantém condições adequadas para os fluxos gênicos, indicando a percolação da paisagem. De modo geral, a paisagem é considerada sustentável, uma vez que apresenta uma estrutura adequada.

Downloads

Publicado

2023-06-26

Como Citar

Gladson, W. ., Mucida, D. ., Pereira, I. ., Machado, E. L. ., & Silva, M. . (2023). DINÂMICA DA ECOLOGIA DE PAISAGEM (1950 - 2010) NA SERRA DO ESPINHAÇO MERIDIONAL, MG . ENCICLOPEDIA BIOSFERA, 20(44), 147-159. Recuperado de https://www.conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/5644

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>