ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DE UMA ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO EM SETE LAGOAS, MG

Autores

  • Israel Pereira
  • Nathália Oliveira
  • Anne Priscila Gonzaga
  • Marcio Oliveira
  • Evandro Luiz Machado
  • Decio Karam

Palavras-chave:

estrutura horizontal, biodiversidade do cerrado, diversidade alfa

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar a composição, estrutura e diversidade da flora arbustivo arbórea em uma área de Cerrado sensu stricto em Sete Lagoas, MG, visando verificar sua similaridade com outras áreas de Cerrado em Minas Gerais. Foram estabelecidas 12 parcelas de 0,1 ha (20×50 m), totalizando 1,2 ha amostrados, sendo inclusas no estudo todas as árvores vivas com circunferência ≥ 15 cm a 0.30 m do solo. Foram registrados 1.689 indivíduos. Os valores de riqueza (48 espécies e 29 famílias), de diversidade de Shannon (3,09) e de uniformidade de Pielou (0,8) evidenciaram grande heterogeneidade e baixa dominância ecológica. Plathymenia reticulata (Fabaceae) apresentou 203 indivíduos, sendo a espécie mais abundante. Fabaceae (10) Bignoniaceae (5), e Vochysiaceae (4) foram as famílias mais ricas em espécie. Os índices qualitativos de similaridade apontaram baixa diversidade entre os ambientes.

Downloads

Publicado

2013-12-01

Como Citar

Pereira, I. ., Oliveira, N. ., Gonzaga, A. P. ., Oliveira, M. ., Machado, E. L. ., & Karam, D. . (2013). ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DE UMA ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO EM SETE LAGOAS, MG. ENCICLOPEDIA BIOSFERA, 9(17). Recuperado de https://www.conhecer.org.br/ojs/index.php/biosfera/article/view/3296